Bio Menu

Busca

Sobre o blog

Alimentar-se representa muito mais que apenas ingerir carboidratos, lipídios, proteinas, vitaminas e minerais. Significa relação social, afinal as pessoas comemoram, prazer, indulgencia etc. Neste Blog temos por objetivo discutir todas as faces dos nutrientes e como podemos estabelecer uma ingestão alimentar saudável sem abrir mão do prazer. Com isso pretendemos propor a você pequenas mudanças que farão diferenças importantes na sua vida, venha conosco.

Categorias

Histórico

03/08/2012

Como transformar suor em medalha

Estamos em tempos de Olimpíadas, o maior evento esportivo mundial, pra quem gosta de esportes é um deleite assistir a tantas modalidades esportivas e poder torcer por nossos atletas.

 Entretanto, é nesta época também que são levantados todos os tipos de discussão a respeito da preparação dos atletas brasileiros, já ouvi muita coisa, entre elogios e críticas saem ganhando as críticas a falta de preparo técnico, de conjunto de equipe, falta de preparação física adequada, falta de planejamento a longo prazo. Ouço muito também à respeito da falta de preparo psicológico para lidar com a pressão de estar numa Olimpíada.

 É complexo falar a respeito deste tema, primeiro porque a preparação psicológica ainda não é um consenso entre técnicos e atletas , o que é uma pena. Alguns ainda resistem a esta ciência que já está mais que comprovada que ajuda na performance de atletas. Assim como a fisioterapia e mais recente a nutrição esportiva, a psicologia esportiva vem ganhando espaço dentro das comissões técnicas. A participação de psicólogos do esporte nas equipes vem crescendo a olhos vistos, digo isso porque vivencio pessoalmente o aumento da demanda de atletas por meu trabalho e vejo meus colegas de profissão cada vez inseridos em um maior número de clubes e equipes esportivas. Também vem crescendo a quantidade de pessoas interessadas em estudar e se especializar em psicologia do esporte, o que é importantíssimo já que a demanda pelo profissional também está aumentando.

 A preparação psicológica do atleta, envolve o desenvolvimento e aprimoramento de habilidades fundamentais para a performance como a capacidade de concentração, de gerenciamento de estresse e ansiedade, de auto-motivação, a capacidade de superação, decisão, comunicação, de auto-observação, de resistir a frustração, entre outras. Todas estas habilidades se não estiverem presentes em um atleta de alto nível acabam levando por água abaixo todo um trabalho físico, técnico e tático.

 Muito se fala na falta do preparo emocional dos atletas brasileiros, que são mais emotivos, que choram mais e que extravasam seus sentimentos. Isso não é necessariamente ruim, se o atleta utiliza estas sensações e emoções a favor da sua performance. Aliás, que delícia é poder compartilhar a emoção do atleta brasileiro quando vence, vibra e se supera. O que seria de nós expectadores se eles fossem frios e não demonstrassem o que sentem? Talvez por isso fiquemos tão indignados quanto eles com uma derrota, porque sentimos junto com o atleta a frustração. No entanto, não fazemos parte da história daquele atleta que acompanhamos apenas através da televisão, na internet ou nos jornais e revistas e não temos todas as peças do quebra-cabeça pra entender o resultado final. Ficamos então fadados a inferência de que uma coisa ou outra foi a causadora de um mal desempenho e julgamos o comportamento de atletas sem ter um mínimo de dados para saber o que de fato acontece com ele.

 Vamos torcer mais pelos nossos atletas e pelo desenvolvimento do esporte neste país. Sim, temos muito o que melhorar  mas apenas criticar não vai mudar o futuro do esporte brasileiro, vamos elogiar aqueles que estão representando o Brasil, porque se chegaram à uma Olimpíada, tenham certeza trabalharam muito pra isso. E vamos trabalhar para que possamos oferecer melhores condições dos atletas se desenvolverem no nosso pais.

 

Carla Di Pierro – Psicóloga do esporte 

www.carladipierro.com.br

Por Carla di Piero às 17h09

Como transformar suor em medalha

Estamos em tempos de Olimpíadas, o maior evento esportivo mundial, pra quem gosta de esportes é um deleite assistir a tantas modalidades esportivas e poder torcer por nossos atletas.

 Entretanto, é nesta época também que são levantados todos os tipos de discussão a respeito da preparação dos atletas brasileiros, já ouvi muita coisa, entre elogios e críticas saem ganhando as críticas a falta de preparo técnico, de conjunto de equipe, falta de preparação física adequada, falta de planejamento a longo prazo. Ouço muito também à respeito da falta de preparo psicológico para lidar com a pressão de estar numa Olimpíada.

 É complexo falar a respeito deste tema, primeiro porque a preparação psicológica ainda não é um consenso entre técnicos e atletas , o que é uma pena. Alguns ainda resistem a esta ciência que já está mais que comprovada que ajuda na performance de atletas. Assim como a fisioterapia e mais recente a nutrição esportiva, a psicologia esportiva vem ganhando espaço dentro das comissões técnicas. A participação de psicólogos do esporte nas equipes vem crescendo a olhos vistos, digo isso porque vivencio pessoalmente o aumento da demanda de atletas por meu trabalho e vejo meus colegas de profissão cada vez inseridos em um maior número de clubes e equipes esportivas. Também vem crescendo a quantidade de pessoas interessadas em estudar e se especializar em psicologia do esporte, o que é importantíssimo já que a demanda pelo profissional também está aumentando.

 A preparação psicológica do atleta, envolve o desenvolvimento e aprimoramento de habilidades fundamentais para a performance como a capacidade de concentração, de gerenciamento de estresse e ansiedade, de auto-motivação, a capacidade de superação, decisão, comunicação, de auto-observação, de resistir a frustração, entre outras. Todas estas habilidades se não estiverem presentes em um atleta de alto nível acabam levando por água abaixo todo um trabalho físico, técnico e tático.

 Muito se fala na falta do preparo emocional dos atletas brasileiros, que são mais emotivos, que choram mais e que extravasam seus sentimentos. Isso não é necessariamente ruim, se o atleta utiliza estas sensações e emoções a favor da sua performance. Aliás, que delícia é poder compartilhar a emoção do atleta brasileiro quando vence, vibra e se supera. O que seria de nós expectadores se eles fossem frios e não demonstrassem o que sentem? Talvez por isso fiquemos tão indignados quanto eles com uma derrota, porque sentimos junto com o atleta a frustração. No entanto, não fazemos parte da história daquele atleta que acompanhamos apenas através da televisão, na internet ou nos jornais e revistas e não temos todas as peças do quebra-cabeça pra entender o resultado final. Ficamos então fadados a inferência de que uma coisa ou outra foi a causadora de um mal desempenho e julgamos o comportamento de atletas sem ter um mínimo de dados para saber o que de fato acontece com ele.

 Vamos torcer mais pelos nossos atletas e pelo desenvolvimento do esporte neste país. Sim, temos muito o que melhorar  mas apenas criticar não vai mudar o futuro do esporte brasileiro, vamos elogiar aqueles que estão representando o Brasil, porque se chegaram à uma Olimpíada, tenham certeza trabalharam muito pra isso. E vamos trabalhar para que possamos oferecer melhores condições dos atletas se desenvolverem no nosso pais.

 

Carla Di Pierro – Psicóloga do esporte 

www.carladipierro.com.br

Por Carla di Piero às 17h04

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre os autores

Ana Carolina Garcia

Graduação em Nutrição - USP, especialista em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico pela Escola de EEFE - USP e especialista em Nutrição Humana Aplicada e Terapia Nutricional pelo IMeN. Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Antonio Herbert Lancha Jr.

Graduação em Educação Física – USP Especialização em Fisiologia do Exercício – UNESP Mestrado e Doutorado em Nutrição Experimental – USP Pós- Doutorado em Medicina Interna – Washington University Professor Titular de Nutrição Aplicada à Atividade Física – USP Coordenador do Grupo de Nutrição do Vita Diretor da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Camila Freitas

Graduação em Nutrição - USP

Pós-Graduação em Gastronomia

Responsável pela área de nutrição das academias Reebok (SP)

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Carla di Pierro

Graduação em Psicologia - PUC SP

Especialização em Psicologia do Esporte - Instituto Sedes Sapientiae

Especialização em Clínica Analítico Comportamental - Núcleo Paradigma

Aprimoramento em Terapia Comportamental Cognitiva - Amban HCFMUSP

Psicóloga da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Desire F. Coelho

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Esporte - USP

Mestrado em Educação Física - USP

Doutoranda pelo Instituto de Ciências Biomédicas - USP

Aprimorando em Transtorno Alimentar pelo AMBULIM HC-FMUSP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luciana O. P. Lancha

Graduação em Nutrição e Esporte – USP Mestrado em Bioquímica – UNICAMP Doutorado em Ciências Biomédicas - USP Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luiz Augusto Riani Costa

Graduação em Medicina – UNICAMP

Pós-graduação em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício – USP

Doutorando em Fisiopatologia – EEFE/HCFMUSP

Diretor Clínico do setor de Cardiologia dos Laboratórios

Diagnósticos da América (DASA)

Fisiologista do Vita

Médico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Marco D. Leme

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Eng. de Alimentos - Instituto Mauá de Tecnologia

Nutricionista do Grupo de DOR - IOT HCFMUSP e da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Patrícia Campos-Ferraz

Graduação em Nutrição – USP

Mestrado em Ciências dos Alimentos – USP

Doutorado em Biologia Funcional e Molecular pela UNICAMP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Renata C. Sardinha

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo. Nutricionista do Bio Menu Congelados Saudáveis


Rodrigo Ferraz

Graduação em Educação Física - USP

Especialização em Treinamento Desportivo - UNIFESP/EPM

Especialista em Prevenção de Lesão e Treinamento em Pacientes Oncológicos

Preparador Físico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida