Bio Menu

Busca

Sobre o blog

Alimentar-se representa muito mais que apenas ingerir carboidratos, lipídios, proteinas, vitaminas e minerais. Significa relação social, afinal as pessoas comemoram, prazer, indulgencia etc. Neste Blog temos por objetivo discutir todas as faces dos nutrientes e como podemos estabelecer uma ingestão alimentar saudável sem abrir mão do prazer. Com isso pretendemos propor a você pequenas mudanças que farão diferenças importantes na sua vida, venha conosco.

Categorias

Histórico

18/05/2012

Você quer mudar e não consegue? Entenda o por quê e o que você pode fazer

Muitas pessoas sentem-se insatisfeitas com suas vidas, seus corpos, seus parceiros, seus trabalhos e gostariam que tudo fosse diferente, mas acham que é difícil mudar ou quase impossível. Quem não se identifica com isso?

 

Todos vivemos insatisfações e isso faz parte da condição de ser humano, entretanto alguns sofrem mais porque tem maior dificuldade de mudar e alcançar o que desejam. 

 

A primeira dica é buscar saber o que você quer de verdade. É fácil reclamar do que você tem, mas já parou pra pensar no que você poderia ter de uma maneira realista e o que deveria fazer para alcançar isso?

 

Este é o ponto de partida, mas não quer dizer que resolve o problema. Ao longo de nossas vidas aprendemos a agir de uma maneira particular diante do mundo, algumas pessoas chamam isso de personalidade, eu prefiro chamar de padrão de comportamento. Este padrão ao longo da vida é construído por 3 fatores :

 

1o. Nossos genes que há milhões de anos vem se adaptando as condições do ambiente em que vivemos e que, por exemplo, nos colocam em situação de alerta diante de um perigo.

 

2o. Nossa história de vida, as experiências que cada um de nós viveu e os significados que damos à elas, como a educação e afeto que recebemos de nossa família.

 

3o. A história da Cultura que pertencemos e que dita as regras de boa convivência, descreve o que é certo ou errado, o que é bom ou ruim.

 

Estas 3 histórias ajudam a modelar e condicionar nosso jeito de ser de tal forma que às vezes nos vemos agindo de tal maneira que racionalmente não faz o menor sentido, mas se formos a fundo na nossa história evolutiva, na nossa história pessoal e na história da nossa Cultura, começamos a entender um pouco melhor.

 

Mudar um hábito diz respeito a uma mudança de funcionamento que há anos está instalado a partir dessas histórias entrelaçadas entre si, o que nos torna seres muito complexos, porém com muito potencial.

 

Apesar de não ser possível apagar nenhuma destas histórias, a segunda dica diz respeito a capacidade que temos de construir novas histórias a partir da já existente.

 

Para isso é necessário abrir a possibilidade de ver, sentir e fazer diferente, sair do familiar, do óbvio e entrar em contato com o novo. Mudar de restaurante, alterar a rotina de trabalho, experimentar outras formas de lazer, tentar uma modalidade esportiva nova, experimentar novos sabores e alimentos, conhecer como outras culturas se comportam.

 

Saia da sua zona de conforto, as mudanças acontecem quando você está fora dela!!


 

Carla Di Pierro

Por Carla di Piero às 22h11

13/05/2012

Ômega 6 x Gordura saturada: será mesmo que a ômega-6 aumenta inflamação?

A gordura da dieta é classificada segundo os tipos e as posições de insaturações que elas apresentam em sua cadeia de carbono. Gordura saturada é aquela que não apresenta insaturações, sendo por isso mais sólida e trazendo problemas à circulação. É encontrada sobretudo nos alimentos de origem animal. Gordura insaturada é aquela que apresenta uma ou mais insaturações na cadeia, e dependendo da quantidade e posição, pode ser mono (uma) ou poli (mais que uma insaturação), e são encontradas nos alimentos de origem vegetal e peixes. A gordura Omega-6 é aquela que apresenta a primeira insaturação no carbono 6 da cadeia. Nosso corpo não fabrica essas gorduras e somos obrigados a consumi-los através da dieta. É encontrada no óleo de milho, de soja, de girassol, etc.

Há hipóteses que os ácidos graxos polinsaturados da classe ômega 6 tenham efeito próinflamatório. Para testar se esse tipo de gordura aumenta inflamação em indivíduos obesos, foi feito um estudo, o qual foi publicado recentemente na revista American Journal of Clinical Nutrition.

Tal estudo mostrou que, em 61 obesos submetidos a uma dieta isocalórica alta em Omega 6 ou gordura saturada por 10 semanas, a gordura hepática foi reduzida no grupo ômega-6, assim como outros marcadores inflamatórios como PCSK9 (um regulador do receptor do LDL hepático), o receptor 2 do fator de necrose tumoral (TNF) e o antagonista do receptor da interleucina 1 (IL-1). A concentração de insulina tendeu a ficar mais alta no grupo com dieta rica em gordura saturada.

Ainda, nos indivíduos que tiveram alteração de AG linoleico com a dieta rica em ômega-6, a insulina, a razão Colesterol Total/HDL, o colesterol LDL e triglicerídeos foram menores na dieta ômega-6 comparado ao grupo com dieta rica em gordura saturada. De acordo com os resultados desse trabalho, a expressão genética do tecido adiposo permaneceu inalterada.   

Para concluir, a gordura polinsaturada do tipo ômega6, comparada à gordura saturada, reduziu a gordura hepática e proporcionou modestas melhoras nos parâmetros metabólicos, sem influir na perda de peso em si.  Nesse estudo, o ômega-6 não causou qualquer sinal de inflamação ou estresse oxidativo. Assim, deve-se ter cautela ao afirmar que a gordura Omega-6 tem ação próinflamatória, pois mais estudos se fazem necessários para afirmar ou não esse fato.

 

Para saber mais:

Bjermo H, Iggman D, Kullberg J et al. Effects of n=6 PUFAs compared with SFAs on liver fat, lipoproteins, and inflammation in abdominal obesity: a randomized controlled Trial.

 doi:10.3945/ajcn.111.030114  Am J Clin Nutr May 2012 ajcn.030114

Por Patrícia L. C. Ferraz às 12h28

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre os autores

Ana Carolina Garcia

Graduação em Nutrição - USP, especialista em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico pela Escola de EEFE - USP e especialista em Nutrição Humana Aplicada e Terapia Nutricional pelo IMeN. Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Antonio Herbert Lancha Jr.

Graduação em Educação Física – USP Especialização em Fisiologia do Exercício – UNESP Mestrado e Doutorado em Nutrição Experimental – USP Pós- Doutorado em Medicina Interna – Washington University Professor Titular de Nutrição Aplicada à Atividade Física – USP Coordenador do Grupo de Nutrição do Vita Diretor da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Camila Freitas

Graduação em Nutrição - USP

Pós-Graduação em Gastronomia

Responsável pela área de nutrição das academias Reebok (SP)

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Carla di Pierro

Graduação em Psicologia - PUC SP

Especialização em Psicologia do Esporte - Instituto Sedes Sapientiae

Especialização em Clínica Analítico Comportamental - Núcleo Paradigma

Aprimoramento em Terapia Comportamental Cognitiva - Amban HCFMUSP

Psicóloga da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Desire F. Coelho

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Esporte - USP

Mestrado em Educação Física - USP

Doutoranda pelo Instituto de Ciências Biomédicas - USP

Aprimorando em Transtorno Alimentar pelo AMBULIM HC-FMUSP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luciana O. P. Lancha

Graduação em Nutrição e Esporte – USP Mestrado em Bioquímica – UNICAMP Doutorado em Ciências Biomédicas - USP Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luiz Augusto Riani Costa

Graduação em Medicina – UNICAMP

Pós-graduação em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício – USP

Doutorando em Fisiopatologia – EEFE/HCFMUSP

Diretor Clínico do setor de Cardiologia dos Laboratórios

Diagnósticos da América (DASA)

Fisiologista do Vita

Médico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Marco D. Leme

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Eng. de Alimentos - Instituto Mauá de Tecnologia

Nutricionista do Grupo de DOR - IOT HCFMUSP e da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Patrícia Campos-Ferraz

Graduação em Nutrição – USP

Mestrado em Ciências dos Alimentos – USP

Doutorado em Biologia Funcional e Molecular pela UNICAMP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Renata C. Sardinha

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo. Nutricionista do Bio Menu Congelados Saudáveis


Rodrigo Ferraz

Graduação em Educação Física - USP

Especialização em Treinamento Desportivo - UNIFESP/EPM

Especialista em Prevenção de Lesão e Treinamento em Pacientes Oncológicos

Preparador Físico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida