Bio Menu

Busca

Sobre o blog

Alimentar-se representa muito mais que apenas ingerir carboidratos, lipídios, proteinas, vitaminas e minerais. Significa relação social, afinal as pessoas comemoram, prazer, indulgencia etc. Neste Blog temos por objetivo discutir todas as faces dos nutrientes e como podemos estabelecer uma ingestão alimentar saudável sem abrir mão do prazer. Com isso pretendemos propor a você pequenas mudanças que farão diferenças importantes na sua vida, venha conosco.

Categorias

Histórico

12/08/2011

Pequenas mudanças – O fracionamento alimentar

Você já deve ter ouvido falar que não devemos ficar muito tempo sem comer, que o ideal é fazer um lanche leve a cada 3 horas, entre o café da manhã, almoço e jantar. Entenda por “lanche leve” o consumo de uma fruta, iogurte, barra de cereal ou alimento similar. Bem pratico e rápido!

Pois bem, essa pequena mudança no dia a dia nos dá um resultado incrível em curto, médio e longo prazo.

Curto prazo: ficamos muito mais dispostos ao longo do dia, sem aquela sensação de fome, cansaço, irritabilidade, mau humor ou dor de cabeça. Essas sensações ocorrem porque quando ficamos muito tempo sem comer, a taxa de açúcar do sangue cai e o cérebro fica pouco alimentado, o que traz essa mal estar.

Médio prazo: como a fome está mais controlada, selecionamos melhor o que comemos. Se trocarmos a batata frita pela assada, o empanado pelo grelhado, o doce pela fruta, reduziremos a quantidade de gorduras e calorias ingeridas e, conseqüentemente, emagreceremos.

Longo prazo: escolhas alimentares mais nutritivas equilibram o organismo. E um corpo mais equilibrado e mais magro é muito mais saudável, pois prevenimos o aparecimento de doenças e promovemos a saúde!

Pequenas mudanças... Grandes resultados!

 

Por Camila Freitas às 00h43

09/08/2011

Posso ou devo comer?

Existe uma grande diferença em poder comer e dever comer. Muitas pessoas me questionam se elas, seus filhos, familiares, etc... podem ou não comer certos alimentos.

 

Quando não existe patologia, alergia, intolerância, aversão ou restrição a certos nutrientes, ingredientes ou substâncias químicas adicionadas ao alimento, não existiria motivo para proibição.

 

Então podemos comer qualquer alimento? A resposta é: depende.

 

Inúmeros alimentos possuem entre seus ingredientes, substâncias que não trazem benefícios a saúde e, à longo prazo certamente podem facilitar o surgimento de alguma doença.

 

 

Abaixo coloco alguns alimentos, bebidas, que precisamos ter atenção relacionada ao consumo excessivo:

 

- Embutidos (presunto, salame, peito de peru, etc);

- Álcool;

- Alimentos com adoçante (refrigerantes diet, light, zero, etc);

- Alimentos com conservantes (alguns pães, alguns sucos, etc);

- Alimentos com certos tipos de corantes;

- Alimentos com excesso de açúcar e sal (sódio);

- Hortifruti com excesso de agrotóxicos;

- Entre outros...

 

Abraços

Por Marco D. Leme às 14h52

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre os autores

Ana Carolina Garcia

Graduação em Nutrição - USP, especialista em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico pela Escola de EEFE - USP e especialista em Nutrição Humana Aplicada e Terapia Nutricional pelo IMeN. Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Antonio Herbert Lancha Jr.

Graduação em Educação Física – USP Especialização em Fisiologia do Exercício – UNESP Mestrado e Doutorado em Nutrição Experimental – USP Pós- Doutorado em Medicina Interna – Washington University Professor Titular de Nutrição Aplicada à Atividade Física – USP Coordenador do Grupo de Nutrição do Vita Diretor da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Camila Freitas

Graduação em Nutrição - USP

Pós-Graduação em Gastronomia

Responsável pela área de nutrição das academias Reebok (SP)

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Carla di Pierro

Graduação em Psicologia - PUC SP

Especialização em Psicologia do Esporte - Instituto Sedes Sapientiae

Especialização em Clínica Analítico Comportamental - Núcleo Paradigma

Aprimoramento em Terapia Comportamental Cognitiva - Amban HCFMUSP

Psicóloga da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Desire F. Coelho

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Esporte - USP

Mestrado em Educação Física - USP

Doutoranda pelo Instituto de Ciências Biomédicas - USP

Aprimorando em Transtorno Alimentar pelo AMBULIM HC-FMUSP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luciana O. P. Lancha

Graduação em Nutrição e Esporte – USP Mestrado em Bioquímica – UNICAMP Doutorado em Ciências Biomédicas - USP Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luiz Augusto Riani Costa

Graduação em Medicina – UNICAMP

Pós-graduação em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício – USP

Doutorando em Fisiopatologia – EEFE/HCFMUSP

Diretor Clínico do setor de Cardiologia dos Laboratórios

Diagnósticos da América (DASA)

Fisiologista do Vita

Médico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Marco D. Leme

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Eng. de Alimentos - Instituto Mauá de Tecnologia

Nutricionista do Grupo de DOR - IOT HCFMUSP e da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Patrícia Campos-Ferraz

Graduação em Nutrição – USP

Mestrado em Ciências dos Alimentos – USP

Doutorado em Biologia Funcional e Molecular pela UNICAMP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Renata C. Sardinha

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo. Nutricionista do Bio Menu Congelados Saudáveis


Rodrigo Ferraz

Graduação em Educação Física - USP

Especialização em Treinamento Desportivo - UNIFESP/EPM

Especialista em Prevenção de Lesão e Treinamento em Pacientes Oncológicos

Preparador Físico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida