Bio Menu

Busca

Sobre o blog

Alimentar-se representa muito mais que apenas ingerir carboidratos, lipídios, proteinas, vitaminas e minerais. Significa relação social, afinal as pessoas comemoram, prazer, indulgencia etc. Neste Blog temos por objetivo discutir todas as faces dos nutrientes e como podemos estabelecer uma ingestão alimentar saudável sem abrir mão do prazer. Com isso pretendemos propor a você pequenas mudanças que farão diferenças importantes na sua vida, venha conosco.

Categorias

Histórico

08/01/2011

Caipirinha no verão!

Durante o verão o consumo de caipirinha aumenta significativamente, mas como saborear e se refrescar com esta bebida típica brasileira engordando menos? Se puder escolha a caipirinha feita com saquê, bebida japonesa que possui teor alcoólico menor (cerca de 18%) do que os destilados – vodka, cachaça (cerca de 40%). Uma caipirinha feita com 100mL de saquê fornece aproximadamente 126Kcal provenientes do álcool, enquanto que se for feita com a mesma quantidade de vodka ou cachaça irá fornecer cerca de 280Kcal. Além do álcool, açúcar e fruta também contribuem no valor calórico total desta bebida. Procure variar a fruta utilizada para fazer a caipirinha, desta forma você estará variando a ingestão de nutrientes.

Para aproveitar e curtir mais a caipirinha, evite tomá-la com sede, senão você irá ingeri-la tão rapidamente que não conseguirá saboreá-la o que pode induzi-lo a pedir outra, aumentando o consumo de álcool.

Cuidado com os aperitivos que normalmente acompanham estas bebidas: amendoim, azeitonas, castanhas, frituras, podem ser trocadas por cenoura, tomate cereja, bruschetta de tomate, torrada com patê de ricota e alcachofra. Na hora de preparar os salgados opte sempre por assá-los ao invés de fritá-los.

Evite o consumo de sal juntamente com a bebida alcoólica, pois ambos favorecem a retenção de líquido que normalmente dura até 72h após o consumo da bebida. Evite fazer muita sauna nos dias em que ingerir bebida alcoólica, pois ao contrário do que se pensa suar não ajuda a eliminar o álcool, apenas aumenta a desidratação e dificulta o processamento do mesmo pelo fígado.

Lembre-se o que realmente hidrata é água!

Por Luciana O. P. Lancha às 13h09

07/01/2011

Por que sabotamos as promessas de Ano Novo e como fazer para mudar ?

Mais um ano que recomeça e  novas promessas são feitas para que o ano seja realmente NOVO. Entre elas perder peso, fazer atividade física, parar de fumar, ter mais tempo de lazer, economizar mais dinheiro. Entretanto, sabemos o quanto é difícil manter as promessas feitas na virada do ano. É importante entender porque isso acontece para então, estabelecer uma nova estratégia de ação.

A explicação está no nosso organismo, em como aprendemos a nos comportar  diante de situações específicas ( ex: comer, comprar, se exercitar) e no contexto que estamos inseridos. Logo após a ingestão de uma guloseima, por exemplo, é liberado no nosso organismo um neurotransmissor chamado dopamina, ela é responsável pela sensação de prazer e bem estar no cerébro que acontece imediatamente após comer um chocolate, fumar um cigarro ou fazer uma compra. Esta sensação imediata compete com as recompensas atrasadas, como perder peso, parar de fumar e economizar dinheiro, o que torna mais difícil atingir metas a longo prazo.

No caso da atividade física ainda que as pessoas saibam dos benefícios como perda de peso, longevidade e prevenção de doenças, elas remetem ao futuro, novamente uma recompensa atrasada. E a sensação imediata pós-exercício de prazer e de relaxamento causados pela betaendorfina e dopamina, só aparecem com relevância aos indivíduos mais treinados. Os iniciantes sentem, de imediato, cansaço, desconforto e em alguns casos até dor. Novamente a competição entre a recompensa atrasada e a sensação imediata é desleal, e vence neste caso, o sedentarismo.

 

O contexto que estamos inseridos é também um fator que ajuda no processo de sabotamento, ou pode ser um grande facilitador para atingir as metas de Ano Novo. Se você quer mudar a maneira como come, como se exercita, ou como gasta seu  dinheiro, é importante mudar o ambiente a  seu favor. Manter guloseimas na geladeira, por exemplo, não facilita a processo de mudança, manter a agenda superlotada de tarefas sem prioridades também não abre possibilidades de ter uma vida mais saudável com espaço fara lazer e atividade física.

 

 É importante reforçar que no contexto também estão inseridos os parceiros, familiares, amigos e como você se relaciona com eles. Eles nos ajudam ou dificultam a adaptação a novos padrões de comportamento. Se visitar a casa da mãe ou estar com o marido ou esposa está apenas associado  ao prazer de almoços aos domingos ou jantar fora, tem algo errado. Invista nas suas relações promovendo outras formas de sentir-se feliz com as pessoas que você gosta.

 

Vejam , não é fácil fazer mudanças de Ano Novo, a dificuldade  não está apenas na força de vontade. É necessário muito comprometimento, um bom planejamento, uma boa estratégia, e saber se auto recompensar com cada pequena meta atingida. E mais importante , se comportar de um jeito novo , diferente do que você já conhece é um processo de aprendizado, demora, começa do mais fácil para o mais difícil e tem várias etapas.

 

 Feliz ANO NOVO!!   

Por Carla di Piero às 11h33

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre os autores

Ana Carolina Garcia

Graduação em Nutrição - USP, especialista em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico pela Escola de EEFE - USP e especialista em Nutrição Humana Aplicada e Terapia Nutricional pelo IMeN. Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Antonio Herbert Lancha Jr.

Graduação em Educação Física – USP Especialização em Fisiologia do Exercício – UNESP Mestrado e Doutorado em Nutrição Experimental – USP Pós- Doutorado em Medicina Interna – Washington University Professor Titular de Nutrição Aplicada à Atividade Física – USP Coordenador do Grupo de Nutrição do Vita Diretor da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Camila Freitas

Graduação em Nutrição - USP

Pós-Graduação em Gastronomia

Responsável pela área de nutrição das academias Reebok (SP)

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Carla di Pierro

Graduação em Psicologia - PUC SP

Especialização em Psicologia do Esporte - Instituto Sedes Sapientiae

Especialização em Clínica Analítico Comportamental - Núcleo Paradigma

Aprimoramento em Terapia Comportamental Cognitiva - Amban HCFMUSP

Psicóloga da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Desire F. Coelho

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Esporte - USP

Mestrado em Educação Física - USP

Doutoranda pelo Instituto de Ciências Biomédicas - USP

Aprimorando em Transtorno Alimentar pelo AMBULIM HC-FMUSP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luciana O. P. Lancha

Graduação em Nutrição e Esporte – USP Mestrado em Bioquímica – UNICAMP Doutorado em Ciências Biomédicas - USP Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luiz Augusto Riani Costa

Graduação em Medicina – UNICAMP

Pós-graduação em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício – USP

Doutorando em Fisiopatologia – EEFE/HCFMUSP

Diretor Clínico do setor de Cardiologia dos Laboratórios

Diagnósticos da América (DASA)

Fisiologista do Vita

Médico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Marco D. Leme

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Eng. de Alimentos - Instituto Mauá de Tecnologia

Nutricionista do Grupo de DOR - IOT HCFMUSP e da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Patrícia Campos-Ferraz

Graduação em Nutrição – USP

Mestrado em Ciências dos Alimentos – USP

Doutorado em Biologia Funcional e Molecular pela UNICAMP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Renata C. Sardinha

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo. Nutricionista do Bio Menu Congelados Saudáveis


Rodrigo Ferraz

Graduação em Educação Física - USP

Especialização em Treinamento Desportivo - UNIFESP/EPM

Especialista em Prevenção de Lesão e Treinamento em Pacientes Oncológicos

Preparador Físico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida