Bio Menu

Busca

Sobre o blog

Alimentar-se representa muito mais que apenas ingerir carboidratos, lipídios, proteinas, vitaminas e minerais. Significa relação social, afinal as pessoas comemoram, prazer, indulgencia etc. Neste Blog temos por objetivo discutir todas as faces dos nutrientes e como podemos estabelecer uma ingestão alimentar saudável sem abrir mão do prazer. Com isso pretendemos propor a você pequenas mudanças que farão diferenças importantes na sua vida, venha conosco.

Categorias

Histórico

06/05/2010

Cafeína...

Encontrada nos chocolates, cafezinhos e em outras bebidas, de absorção rápida e eficiente é muito conhecida pela ação estimulante.

 

É liberada pela a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) como suplemento para atletas. De acordo com o órgão, ficou comprovado que o consumo correto dessa substância pode contribuir para a resistência aeróbica em exercícios físicos de longa duração e retardar a fadiga muscular que é um limitante para a performance do atleta.

 

A cafeína estimula o Sistema Nervoso Central (SNC) e está relacionada com: aumento da atenção e concentração; humor; liberação de catecolaminas; liberação de ácidos graxos livres; redução da fadiga e menor tempo de reação.  Em doses maiores, estimula os centros medular, vagal, vasomotor e respiratório, o que provoca taquicardia, vasoconstrição e aumento da freqüência respiratória. Porém, a relação risco-benefício deve ser avaliada na presença de doença cardíaca grave, disfunção hepática, úlcera péptica, hipertensão e insônia.

 

Estudos recentes indicam que a cafeína exerce grande parte de seus efeitos fisiológicos por antagonismo com os receptores centrais de adenosina. Estimula o músculo esquelético possivelmente mediante a liberação de acetilcolina, melhora a força de contração e a diminuição da fadiga muscular. Provoca a secreção de pepsina e ácido gástrico pelas células parietais. Aumenta o fluxo sangüíneo renal e a taxa de filtração glomerular e diminui a reabsorção tubular proximal de sódio e água, provocando uma diurese moderada. É eliminada por via renal, principalmente como metabólito.

 

O órgão refere que anteriormente a cafeína era comercializada como medicação ou ¨clandestinamente¨ como alimento, já que não havia estudos que comprovassem a eficácia dos produtos, ou seja, a cafeína presente em bebida energética e alimentos, não poderia ser vendida desta forma.

 

A Anvisa destacou que, apesar da liberação, o consumo fica restrito apenas a atletas e não a praticantes de atividades físicas com objetivo de promoção da saúde, pelos motivos exemplificados. A resolução a ser publicada prevê que a comercialização de cafeína pode ser entre 210 miligramas (mg) e 420 mg, mas não pode ser adicionada de nenhum tipo de nutriente.

 

Exemplificando valores médios de cafeína em 100ml: café coado 80 miligramas, café expresso 100 miligramas, xícara de chá coado 35 miligramas e refrigerante 18 miligramas.

Recomendação: Não use sem orientação de um profissional nutricionista ou médico quanto ao uso e quantidade deste suplemento.


Curiosidade: Cafeína - é um composto químico de fórmula C8H10N4O2 — classificado como alcalóide do grupo das xantinas. É extremamente solúvel em água quente, não tem cheiro e apresenta sabor amargo.

Plantas que contém o princípio ativo cafeína:

·          Erva-Mate: folhas e talos da Ilex paraguariensis.

·         Café: sementes da Coffea arabica.

·         Chá: folhas de Camellia sinensis.

·         Cacau: frutos da Theobroma cacao.

·         Guaraná: frutos da Paulinia cupana.

·         Cola: Cola acuminata.

Referências

1.       Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) - www.anvisa.gov.br

2.       Projeto Bula da Anvisa – www.anvisa.gov.br – ações terapêuticas

3.   http://ftp.saude.sp.gov.br/ftpsessp/bibliote/informe_eletronico/2010/iels.abr.10/Iels79/U_RS-MS-ANVISA-RDC-18_270410.pdf

 

Por Ana Paula C. Franzese às 18h08

03/05/2010

Vamos prevenir o Câncer!

É Câncer! Como é ruim receber a notícia que uma pessoa querida teve o diagnóstico de tal patologia. Infelizmente, pelos hábitos de vida desenvolvidos por nós nas últimas décadas, cada vez mais estamos recebendo essa notícia indesejada.

Porém fico feliz em saber que a ciência está nos mostrando que na maioria dos casos, o Câncer pode ser evitado, apenas alterando nossa louca rotina, principalmente para os que vivem em metrópoles. Uma alimentação saudável aliada a atividades físicas podem ter grande importância nessa alteração.

Abaixo relaciono algumas das recomendações propostas pelo INCA (Instituto Nacional de Câncer): 

Gordura Corporal: Seja o mais magro quanto possível dentro dos limites normais de peso corporal. Evite o ganho de peso e aumentos na circunferência da cintura ao longo da fase adulta.

 Atividade Física: Mantenha-se fisicamente ativo como parte da rotina diária. Seja moderadamente ativo fisicamente, o equivalente a uma caminhada acelerada por no mínimo 30 minutos todos os dias. À medida que seu condicionamento físico melhorar, procure exercitar-se moderadamente por 60 minutos ou mais, ou por 30 minutos ou mais, de atividade física vigorosa todos os dias. Limite hábitos sedentários tais como assistir à televisão. 

Alimentos e bebidas que promovem o ganho de peso: Limite o consumo de alimentos com alta densidade energética (ex: Bolachas recheadas). Evite bebidas açucaradas. Consuma alimentos do tipo fast-food raramente ou nunca. 

Alimentos de origem vegetal: Consuma principalmente alimentos de origem vegetal. Consuma, pelo menos, cinco porções (no mínimo, 400g) de hortaliças sem amido e de frutas variadas todos os dias. Consuma cereais (grãos) pouco processados e/ou leguminosas em todas as refeições. 

Alimentos de origem animal: Limite o consumo de carne vermelha e evite carnes processadas (embutidos). Pessoas que comem carne vermelha regularmente devem consumir menos de 500g por semana, incluindo pouca ou nenhuma quantidade de carne processada. 

Bebidas alcoólicas: Limite o consumo de bebidas alcoólicas. Se bebidas alcoólicas são consumidas, o consumo deve ser limitado a não mais do que dois drinques por dia para homens e a um drinque por dia, para mulheres. 

Preservação, processamento e preparo: Limite o consumo de sal. Evite cereais e grãos mofados. Limite o consumo de alimentos processados com adição de sal para assegurar uma ingestão de menos de 6g (2,4g de sódio) por dia. 

Suplementos alimentares: Ter como objetivo o alcance das necessidades nutricionais apenas por intermédio da alimentação. Suplementos nutricionais não são recomendados para a prevenção do câncer. 

Recomendações especiais: 

Amamentação: Ter como objetivo amamentar as crianças exclusivamente até seis meses e continuar com alimentação complementar, a partir de então. 

Sobreviventes de Câncer: siga as recomendações de prevenção de câncer.Todos os sobreviventes de câncer devem receber assistência nutricional de um profissional apropriadamente treinado.Se for capaz de fazê-lo e, a não ser que aconselhado de outra maneira, tenha como objetivo o cumprimento das recomendações de alimentação, peso saudável e atividade física. 

Vamos nos prevenir...

 

Leitura Sugerida:

Resumo: Alimentos, nutrição, atividade física e prevenção de câncer: uma perspectiva global / traduzido por Athayde Hanson Tradutores - Rio de Janeiro: INCA, 2007.12p.

Marín Caro MM, Laviano A, Pichard C. Impact of nutrition on quality of life during cancer. Curr Opin Clin Nutr Metab Care. 2007 Jul;10(4):480-7.

Por Marco D. Leme às 09h06

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre os autores

Ana Carolina Garcia

Graduação em Nutrição - USP, especialista em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico pela Escola de EEFE - USP e especialista em Nutrição Humana Aplicada e Terapia Nutricional pelo IMeN. Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Antonio Herbert Lancha Jr.

Graduação em Educação Física – USP Especialização em Fisiologia do Exercício – UNESP Mestrado e Doutorado em Nutrição Experimental – USP Pós- Doutorado em Medicina Interna – Washington University Professor Titular de Nutrição Aplicada à Atividade Física – USP Coordenador do Grupo de Nutrição do Vita Diretor da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Camila Freitas

Graduação em Nutrição - USP

Pós-Graduação em Gastronomia

Responsável pela área de nutrição das academias Reebok (SP)

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Carla di Pierro

Graduação em Psicologia - PUC SP

Especialização em Psicologia do Esporte - Instituto Sedes Sapientiae

Especialização em Clínica Analítico Comportamental - Núcleo Paradigma

Aprimoramento em Terapia Comportamental Cognitiva - Amban HCFMUSP

Psicóloga da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Desire F. Coelho

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Esporte - USP

Mestrado em Educação Física - USP

Doutoranda pelo Instituto de Ciências Biomédicas - USP

Aprimorando em Transtorno Alimentar pelo AMBULIM HC-FMUSP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luciana O. P. Lancha

Graduação em Nutrição e Esporte – USP Mestrado em Bioquímica – UNICAMP Doutorado em Ciências Biomédicas - USP Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luiz Augusto Riani Costa

Graduação em Medicina – UNICAMP

Pós-graduação em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício – USP

Doutorando em Fisiopatologia – EEFE/HCFMUSP

Diretor Clínico do setor de Cardiologia dos Laboratórios

Diagnósticos da América (DASA)

Fisiologista do Vita

Médico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Marco D. Leme

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Eng. de Alimentos - Instituto Mauá de Tecnologia

Nutricionista do Grupo de DOR - IOT HCFMUSP e da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Patrícia Campos-Ferraz

Graduação em Nutrição – USP

Mestrado em Ciências dos Alimentos – USP

Doutorado em Biologia Funcional e Molecular pela UNICAMP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Renata C. Sardinha

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo. Nutricionista do Bio Menu Congelados Saudáveis


Rodrigo Ferraz

Graduação em Educação Física - USP

Especialização em Treinamento Desportivo - UNIFESP/EPM

Especialista em Prevenção de Lesão e Treinamento em Pacientes Oncológicos

Preparador Físico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida